Galpao e Equipamentos - Frango de Corte

O galpão de criação de frangos de corte (aviário) deve ser de alvenaria, comprido e disposto no sentido leste-oeste. De onde nasce para onde se põe o sol, dessa forma não bate sol diretamente nas aves.

A ave troca calor com o bico, aumentando a sua frequencia respiratória. Uma ave com calor não come porque fica com o bico aberto, então não ganha peso.






Leia mais...

O galpão deve ser coberto com telhas comuns, coloniais, francesas ou amianto, com ou sem lanternim, piso cimentado com 0,30m acima do solo, pé-direito com 2,90m de altura, beiral em torno de 1,80m e largura de 8m para melhorar a ventilação natural. O rodapé da mureta deve ter 0,30m, como prevenção contra correntes de ar diretas sobre as aves.
Essas dimensões podem variar um pouco a depender das condições climáticas do local escolhido para a implantação do aviário.

As laterais devem ser fechadas até o telhado com tela de arame a fim de evitar a presença indesejada de pássaros gulosos. Eles aparecem se houver ração de fácil acesso.

Os aviários devem dispor de cortinas que se fecham de baixo para cima. Isso facilita o controle da entrada de ventos e temperatura. Na primeira foto pode-se observar as cortinas abaixadas indicando que os animais estão mais próximos da idade de abate.

A distância entre os galpões deve ser no mínimo de 50m. Pode-se fazer uma "parede verde", plantando uma fileira de árvores ao lado do aviário. Mas não se deve plantar aves frutíferas porque atrai animais. E também árvores com a copa muito alta (ex. coqueiro) que não fará sombra adequadamente, nem irá conferir uma separação de fato.

Cada aviário deve ter a sua caixa d’água independente e tubulação hidráulica PVC de 0,5 polegadas.

A iluminação dos galpões deverá ser feita com lâmpadas incandescentes, distribuídas à base de 1,5 watts por metro quadrado do galpão e colocadas à altura do pé-direito.

Os comedouros e bebedouros devem ficar erguidos a fim de obrigar a ave a levantar para se alimentar. Assim elas não ficam o tempo todo deitadas, o que prejudicaria a parte mais nobre de sua carcaça que é o peito.














Os bebedouros das fotos acima são do tipo automático e pendular. Conforme a ave vai bebendo ele vai enchendo. Porém, isso não quer dizer que eles não precisem ser limpos diariamente. Na figura da direita pode-se perceber que o bebedouro vai ficando sujo com o tempo. O bebedouro também pode ser do tipo manual, mas esse tipo de bebedouro está caindo em desuso porque demanda muita mão-de-obra e as aves acabam ficando com sede. A ave com sede não se alimenta bem e deixa de ganhar peso.

O bebedouro manual que ainda é utilizado é somente para a primeira fase da criação. Abaixo estão alguns exemplos de bebedouros para pintinhos que são do tipo manual.


Os comedouros também podem ser automáticos ou manuais. Abaixo, as duas fotos da esquerda, um exemplo de comedouro manual. O integrado enche o tubo e ele vai descendo aos poucos conforme a ave vai comendo, mas precisa ser enchido várias vezes por dia. Do lado direito um exemplo de comedouro automático. A máquina vai enchendo os pratinhos conforme os animais vão comendo.


Outro equipamento é o triturador e misturador de ração.

Vale a pena ler:
Manual do Frango de Corte.